Breve consideração sobre 2014

Geralmente, eu não costumo fazer esses rituais de fim de ano que algumas pessoa gostam de fazer,tipo, listas,metas e retrospectivas. Não tenho nada contra,mas o que me aparece é que, ao fazer uma espécie de lista de metas para o ano seguinte,parece que as pessoas querem apagar tudo aquilo que se passou no ano que está acabando, tentar encontrar uma esperança no novo. Sinceramente, por mais que eu tente me livrar de algumas coisas que aconteceram esse ano sei que serão completamente esquecidas, não posso dizer que foi um ano ruim, pra ficar esquecido. Acho que a palavra que define meu 2014 é mudança,sem dúvida. Eu mudei,minha vida mudou, minhas atitudes mudaram. Foi um ano de muito aprendizado, experiências novas que fortaleceram algumas relações anteriores, conheci mais as pessoas que agora fazem parte da minha vida e entendi algumas coisas que ficaram subtendidas em 2013. Também foi um ano triste,melancólico em boa parte,algumas perdas e decepções, coisas que ,infelizmente, fazem parte dessa coisa toda que é viver.
Eu não sei se escrever minhas vontades em uma lista vai me ajudar a alcançá-las. Sinceramente,eu não pretendo fazer nenhum voto para 2015. Vontades,sonhos,desejos... Tenho. E muitxs.Eu só quero continuar a viver e experimentar o que é bom, e que essas coisas boas permaneçam.

Happy New Year!!!

Inspiração: Trechos de frases de livros

"Mesmo as coisas estúpidas se tornam interessantes se a gente procurar fazê-las bem"

As Belas Imagens - Simone de Beauvoir

"Acho que fico com ela porque ela fica comigo.Sou péssimo namorado. Ela é péssima namorada. Nós nos merecemos."

Quem é você Alasca? - Jhon Green

" Uma luz como essa não existe,mas nós desejamos que exista. Desejamos que o sol nos faça jovens e belos, desejamos que nossas roupas reluzam e deslizem sobre nossa pele e, acima de tudo, desejamos que todos os nossos conhecidos possam se iluminar com um simples olhar nosso..."

Garota Interrompida - Susanna Kaysen

" As lágrimas importam tanto quanto os sorrisos. Você é tudo aquilo que viveu até este exato momento"

Depois dos Quinze - Bruna Vieira

" Registre o passar do tempo"

Destrua este Diário - Keri Smith


Quem tiver algum trecho/passagem de algum livro que marcou pode comentar aqui e enfeitar o blog com suas inspirações.

Bjos no coração


Playlist: Fim de Período

Eita que fim de período na faculdade se transforma nos dias mais tensos na rotina dos universitários.Provas,trabalhos,projetos e prazos.Uffa! Quanta coisa. Esse foi um semestre bem difícil e complicado pra mim,os conteúdos muuito densos,muitas cobranças e nesse período de tempo comecei a trabalhar, o que implicou menos tempo pra estudar e me organizar nos estudos. Minha rotina têm se tornado bem corrida,porém, apesar das muitas responsabilidades, eu tenho aproveitado as oportunidades para organizar  meus pensamentos.Sinto que essa rotina me faz bem. E claro que pra tudo na minha vida  sempre tem uma Playlist pronta com músicas que refletem como me sinto. Então aperta o play!!!

Thiago Pethit - Moon

The Smiths - There is a Light That Never Goes Out

A Day to Remember - All I Want

Lana Del Rey - Sad Girl

The Distillers - Oldscratch



George Michael _ Careless Whisper

Cazuza - Eu Queria Ter Uma Bomba

Foo Fighters - The Pretender


Transit - Skipping Stone

Coldplay - Amsterdam

Eu não estou revoltada. OK?!


Que coisa! Achei que escrever esse texto/reflexão/depoimento, sei lá, é algo meio que necessário. Tudo bem que eu sei que não devo dar explicações ou muito menos provar pra alguém sobre a minha vida  e minhas escolhas a ninguém, até porque foram decisões que eu tomei e que me afetaram. Então vamos devagar né?Um coisa é clara e óbvia: eu mudei bastante. Isso não é novidade paras as pessoas que me conhecem. Mas eu não vou começar mais um parágrafo falando sobre isso, por que é algo que já citei antes, e já foi motivo de outros textos,e sinceramente, ficar falando sobre a mesma coisa sempre fica chato. Tá  bom já desse mimimi todo.

Se tem uma coisa que tenho escutado ultimamente de muitas pessoas é: “ Você tá revolta?”, “ Tá muito transformada,diferente”, “ Você não era assim”. E ainda bem que não sou mais. Primeiramente, vamos pensar no significado dessas palavras antes de falar besteira? #Achodigno.

Bom, na vida todos passam por mudanças/transformações, é normal a todos nós, e muitas vezes necessário. Comigo não foi diferente: Novas atitudes e experiências, cabelo novo (curto e quase ruivo),lugares e pessoas diferentes. Gostei e detestei de alguns filmes, li livros que muitos disseram que eram chatos ou modinha, concordei e discordei de algumas opiniões. Roupas menos coloridas,batom escuro, guardei os sapatos de salto. E no decorrer de todas essas mudanças, acredito, pelo menos ao meu ver, que não desrespeitei ou ofendi ninguém por agir/pensar/falar diferente da maioria.
E por que tudo isso aconteceu? Não sei dar uma resposta concreta.
A gente cresce,muda,sente,aprende,erra,chora,acerta,gosta,desgosta... etc. E ,acredito eu, que de alguma forma tudo isso reflete na nossa vida a acaba propiciando novos olhares acerca do mundo ao nosso redor. E eu não vejo isso como errado.
Eu acho que antes de falar, seria bom que pensássemos no que realmente queremos dizer, porque ouvir certas coisas acaba deixando a conversa chata e desnecessária. Eu não me ofendo quando alguém pergunta ou afirma que estou revoltada ou rebelde, até porque eu sei das minhas verdades e de quem eu sou, e não preciso provar o contrário disso. Mas eu só queria deixar claro é que. não estou me rebelando contra nada , não mudei porque quero provocar alguém. Foi algo que simplesmente aconteceu e não me fez mal algum,apenas busco viver a minha vida do meu jeito, dar à ela a minha forma, desenhá-la com o meu traço, sem precisar querer me encaixar nos moldes que já existem. Isso não me interessa. Eu posso até parecer um pouco mais chata ou ter me desinteressado por algumas coisas, mas o bem, que eu quero e desejo a todos aqueles que amo e estão perto de mim, não mudou em nada.

E eu não estou chateada com ninguém,mas quis propor essa reflexão.Beijos no coração.




" É cada um por si na sua própria bolha de ar."

Tiê - Chá Verde



Solidão



Lugar.
Vazio

Quarto
Lados
Frio

Janela
Fechada

Parede
Um quadro.
Preto e Branco.

Fotografia,
No chão.
Cinzas.

Porta
Aberta.
Coração
 Fechado.

Lugar
Vazio.

Alguém.
Só.





Escrevo


Escrevo o que não consigo falar
Escrevo abraços que deixei de dar,
Escrevo sorrisos que estão guardados
Escrevo as lágrimas que sobraram.
Escrevo vontades escondidas
Escrevo sonhos, que talvez eu não realize.
Escrevo a minha liberdade de pensar.
Escrevo as coisas que aprendi,
Escrevo os erros que cometi.
Escrevo poemas que não sei escrever.
Escrevo umas verdades que são minhas,
Escrevo mentiras que parecem verdades.

Palavra.
Palavras.
Descrevo.
Escrevo

Escrevo sobre os amores que deixei e que me deixaram,
Escrevo o gosto que a felicidade deixou.
Escrevo sobre a menina de vestido florido
Escrevo sobre o rapaz de óculos.
Escrevo os pessoas e seus olhares,
Escrevo sobre a música que me faz sorrir
Escrevo um pouco de medo,
Escrevo nostalgia,muita.
Escrevo tudo que há dentro de mim e quer sair.
Escrevo tudo aquilo que precisa ser sentido,mais que dito.
Sonho,Sentimento,Saudade,
Vontades,Verdades,

Tudo o que eu penso,
Tudo o que eu quero,
Tudo o que vivo,
Tudo o que sinto.


Escrevo.




Discos que Marcaram: Parte 1

Dias desses, no face, me marcaram numa publicação sobre discos que marcaram nossas vidas, achei a brincadeira legal,mas confesso,fiquei com preguiça de fazer uma lista de álbuns de artistas que passaram pela minha geração. Tem músicas que mexem com a gente, de uma certa maneira, que têm a capacidade de nos transportar para uma determinada época de nossas vidas e nos fazer reviver momentos inesquecíveis.Por isso, resolvi deixar a preguiçar de lado, e separei alguns discos que ficaram marcados na minha vida em diferentes fases que passei.
Então, aperte o play!!

Far - Regina Spektor
De todos, ainda é o meu álbum favorito dela. 
Músicas que sempre me inspiram em algo


Canções de Apartamento - Cícero


O primeiro disco dele, e pra mim, o mais apaixonante.

Sweet Jardim - Tiê

Fofura,define.

Mallu Magalhães - Mallu Magalhães

Lembro que só comprei um violão porque queria tocar tchubaruba,haha.

The Fame - Lady Gaga

Ah,meus 15 aninhos.

Lana Del Rey - Born to Die

Quando vi o vídeo de Blue Jeans,me apaixonei por Lana e sua arte na mesma hora.

The Pretty Reckless - Light me Up

A voz da Taylor s2

The Imaculate Collection - Madonna

Quando eu era pequena queria ser a Madonna

Acústico Capital Inicial - Capital Inicial

Um dos disco mais legais que meu pai já comprou.

Acústico Engenheiros do Hawaii - Engenheiros do Hawaii

Essa banda,Esse show.Aquelas músicas. Muitas lembranças.

RBD 
Eu ouvia esse disco todo santo dia,e não cansava de cantar: E sou rebelde...


Manu Gavassi - Manu Gavassi

As primeiras músicas que aprendi no violão.

Demi Lovato - Don't Forget

Eu no ensino médio.
Coral Fang - The Distillers
 Meu disco favorito da minha banda favorita s2s2s2

Avril Lavigne - Let go

Bons tempos de Avril

CPM 22 - Felicidade Instantânea
sdds Cpm *-*


Pitty - Anacrônico
nostalgia tá ficando séria aqui.


The Black Keys - El Camino
esses lindos

...

A lista não acabou.Em breve mais sessão nostalgia por aqui.



Quando ele voltar






Pode ser que ele chegue de surpresa e bata à sua porta. Ou, te encontre na rua,apressada, e te cumprimente com um breve aceno. Mas um  dia, em qualquer lugar, ele vai voltar. Por que? Pra quê? Não se sabe. Mas, às vezes o passado volta pra nos fazer lembrar do que já fomos e o que passamos. E quando ele voltar, você já vai está em outra, sorrindo,comemorando uma promoção no trabalho, ou até dançando sua música favorita. Concerteza vai estar bem melhor.
Ele vai reparar no seu novo corte de cabelo, elogiar sua carreira profissional e perguntar o que você vai fazer na sexta à noite. Você pode até topar sair com ele, mas vai checar todas as opções antes. No fim das contas,vai né?! Só mais um encontro casual. Tranquilidade. Você nem vai se dar o trabalho de escolher “ a roupa”, muito menos se preocupar com a aparência. Agora você é uma mulher madura, segura de si, que aprendeu com as dificuldades e superou muitas coisas.Sem neuras. “Se arrumar pra quem? Sou linda de qualquer jeito, e eu sei disso.” Ele também sabe.
Sexta-feira. Noite. Ruas agitadas.Bares lotados. Pessoas. Perfumes. Você e sua bolsa de marca.Quem diria que esse dia chegaria. Chegou.
Conversas sobre o trabalho, a viagem de intercâmbio, lembranças da faculdade e planos para dezembro.  Ele ainda curte aquela banda que você detestava, e você agora prefere livros de ficção. Nossa, que rumo diferente suas vidas tomaram. Nada se parece com os planos que fizeram naquela tarde chuvosa na casa dele, que você sentiu a certeza de que ele seria o seu futuro. Olhe ao seu redor. Você e seus sonhos são o seu presente agora. Todos os conselhos das suas amigas fazem sentido. Tudo vale à pena.

E depois de tanta conversa, a última taça de vinho. Realmente, foi bom  te conhecer. Ele te fez feliz, e foi importante na sua vida, naquele tempo. E depois das lágrimas, nostalgia e músicas melancólicas, o dia nasceu mais uma vez, e com ele seus sonhos te ensinaram a sorrir de um jeito diferente, mais sincero. E a saudade que aquele cara deixou, foi substituída pela vontade de viajar e conhecer o mundo, pelas pessoas que você abraça e pela felicidade que você espalha todos os dias. Inclusive, hoje é um dia. Vamos nos enfeitar de alegria.



Eu e o Feminismo

Não sei se esse é um texto difícil ou fácil de escrever. Porque quando penso em feminismo me vem tanta coisa em mente, tantas ideias, que logo se torna mais que um texto, dá vontade de fazer um livro sobre o assunto (vai que um dia eu faça mesmo). Mas o que mais  eu acho legal sobre fazer esse texto, é que o fato de ser um assunto que me sinto super à vontade pra falar,escrever,conversar entre amigos,etc.
Lembro de tantas coisas que já ouvi e sempre me questionei: “ Fecha as pernas e senta como uma moça”, “ Pare,que isso é brincadeira de menino”, “ É feio mulher falar palavrão,menina vou lavar sua boca com sabão”, “ Essas banda de menininha, muito gay”... Tá bom, já chega né? Tá feio. Todas essas frases, ofensivas e repressoras  que ouvi, me foram proferidas não porque eu estava fazendo algo de errado ou, ofendendo alguém. Mas sim porque sou mulher.E eu não sou a única.Infelizmente.
Eu não sabia o que era feminismo direito,pra mim, era só uma palavra. Não me ensinaram na escola.Nem em casa. Nem na igreja. Só me ensinaram a ser uma boa menina,que faz coisas de menina,que age como uma menina,que pensa como uma menina e que tem que usar coisas de menina e blá-blá-blá. Lembro que já fui muito repreendida por deixar de fazer alguma dessas coisas.
Mas daí eu cresci, e continuei ouvindo essas coisas. E chegou um momento que eu tive que gritar: Porra,deixa que fazer o que quiser.Posso ser do meu jeito?! Obrigada.De nada. Chama a segurança e tira esse machismo daqui,que tá incomodando muita gente.
As conversas entre amigas foram se tornando cada vez mais frequentes e volta e meia alguém falava em feminismo, as opiniões se entrosavam e faziam mais sentido, e eu pensava: Realmente,faz sentido. Por que não discordar? Por que ficar calada? Essa mina pensa igual à mim. Peraí, então eu sou feminista e não sabia?!
Bem assim mesmo. Temos guardados dentro de nós, um monte de pensamentos e ideias que nos parecem bobas ou até sem sentido,mas quando a sua percepção  de vida/mundo/ pessoas muda, você acaba se conhecendo melhor e descobrindo  a si mesmo. Pelo menos comigo funcionou.

A partir do momento que passei a ler e conhecer sobre feminismo, passei não só a me ver de uma outra forma,mas me despi de muitos preconceitos e opiniões fúteis. Passei a respeitar mais as pessoas e me livrar de certos julgamentos,que não cabiam a mim. Sim o feminismo liberta. E é exatamento isso que tenho experimentado, o gosto bom de viver e conhecer  minha liberdade.


Como não amar: Regina Spektor

Eu resolvi criar essa nova categoria aqui no blog (#ComoNãoAmar) para compartilhar sobre meus artistas/artes favoritos,sejam: escritores,cantores,bandas,livros,filmes...etc. Acho super cool essa vibe de falar também sobre pessoas que nos inspiram e compartilhar suas ideias.São pessoas e trabalhos que acho que todo mundo merece conhecer e parar pra prestar um pouco de atenção e quem sabe se inspirar pra fazer coisas legais por aí. Mas, vamos as apresentações.




 A primeira artista que eu escolhi pra postar (detalhe: já fiz uma lista enorme),é a linda,fofa,cute,maravilhosa da Regina Spektor, uma das minhas cantoras favoritas ever Bom,eu não vou descrever toda a biografia dela,porque acho desnecessário um post não enorme sobre isso, mas deixo link pra quem quiser ler sobre a carreira dela. Eu pretendo falar do que me faz gostar tanto dela.
Eu conheci a Regina quando uma música dela, Fidelity, fazia parte da trilha de alguma novela da globo que nem lembro mais o nome. Me apaixonei pela música e  depois descobri quem era de umas das vozes mais fofas que já ouvi s2. Tempos depois eu conheci o Depois dos Quinze e a Bruna sempre falava da Regina, daí fiquei mais curiosa pra conhecer mais músicas e ler sobre ela também. Pronto,me apaixonei de vez e fim. Essa é minha estória de amor por ela.

Porque amar:

1. Ela é muito fofa (tenho uma queda por pessoas fofas,sim)
2. Ela tem uma voz linda
3. Ela toca piano, (acho chic), além de outros instrumentos
4. Tem um estilo adorável,usa vestidinhos que eu adoro
5. Ela compõe suas músicas (que são lindas e amo)

Minhas Favoritas:

Meu álbum favorito dela é o Far,mas vou postar as que mais me tocam ;)

Fidelity

Us


Eet


Laughing With


Blue Lips


The Calculation

Better


Samson

Man Of a Thousand Faces

Espero que também gostem da Regina e fiquem à vontade pra conhecer e amar sua arte.








Meu cabelo, Minhas Regras


Ultimamente eu tava numa vibe melancólica com meus textos,por motivos que já não cabem mais lembrar,mas eu tava pensativa esses dias sobre o que escrever, porque eu já tava cansada de ficar me remetendo sempre as mesmas situações. Mas chega de mimimi e vamos ao que interessa. Nos últimos tempos,ou melhor, desde o começo do ano muitas coisas aconteceram comigo e muitas mudanças vieram com 2014,uma delas foi meu cabelo. Tipo, eu sempre tive cabelão,cortava só de vez em quando, mas eu era muito apegada ao comprimento do meu cabelo, e com o tempo aprendi e tomar os devidos cuidados, o que ajudou tanto no crescimento como na aparência dele. Eu resolvi escrever sobre esse assunto ( o que pode parecer até idiota e nada a ver com o blog)porque realmente acho necessário compartilhar minha experiência.
A primeira mudança foi quando parei de fazer uso da chapinha (WHAT???). Sim, percebi que é possível ter um cabelo lindo sem fazer chapinha toda semana,ou melhor, eu simplesmente desapeguei. Bom, eu faço alisamento no cabelo, mas nunca achava suficiente. Cresci com a ideia de que pra ser bonita o cabelo tem que ser liso e blá-blá-blá, eu simplesmente não vivia sem fazer chapinha, só me sentia bonita quando meus cabelos estavem beeeem lisos. Tanto que muitas vezes eu deixava de ir a algum lugar se meu cabelo não estivesse liso chapado. Então no finalzinho do ano passado eu fui me desapegando da prancha  e fui me acostumando, passei e cuidar melhor dos fios e percebi que eles ficavam muito mais bonitos, sem precisar daquele efeito liso FAKE. Atualmente faz quase um ano que não sou mais “a louca da chapinha” (brinks), mas ainda continuo fazendo alisamento.
No começo desse ano eu resolvi que queria mudar um pouco,então cortei o cabelo. Não muito curto, porque eu ainda era um pouco apegada ao cabelo,mas queria fazer um corte diferente. Eu cortei meu cabelo mais ou menos no ombro,mas para algumas pessoas aquilo foi um choque,juro que não entendi. “ Nossa,por que você fez isso?” , “ Mas seu cabelo tava tão lindo grande”, “Como você é corajosa”.... Tipo, assim: o cabelo é meu,e ele não deixou de ficar bonito porque cortei,então pra quê todo esse drama?
Como meu cabelo cresce rápido, logo nem parecia que eu tinha cortado, então eu quis cortar novamente. Resolvi fazer um chanel (que nem ficou muito bom),mas que foi bem mais curto do que o último corte. Lembro que quando comentei que queria deixar curtinho uma “amiga” comentou: “Mas não combina porque você tem bochechas grandes,vai ficar estranho”. Agora me diga, desde quando tem que combinar? Eu não queria cortar o cabelo porque queria parecer estranha ou agradar alguém, e sim porque tava com vontade. Então..... deixa pra lá .Cortei chanel. Os comentários foram diversos: Ficou bom, Super Combinou com você, Que diferente,blá-blá-blá. Você começa a notar certos comentários desconstrutivos e se pergunta: Mas quem pediu sua opinião queridinha?
Quando meu cabelo foi crescendo resolvi cortar novamente, do tipo,beeem curto mesmo. Até minha mãe se assustou: Minha filha você está revoltada? Até hoje eu me pergunto, desde quando cortar o cabelo significa revolta? Eu hein?!!


Sinceramente,viciei no curtinho. Não só pela praticidade do cabelo curto,você usa menor quantidade de produtos (olha pelo lado econômico geente),mas também pela maneira como me sinto. Gosto dessa minha nova imagem e pronto. Estou feliz assim,ora.
Mas eu não parei por aí,me deu vontade de ficar ruiva. Sim,eu não estou brincando.
Eu sempre tive vontade de pintar o cabelo,mas tinha aquela ideia sem noção de que se eu pintasse iria estragar meu cabelo (não lembro quem plantou esse besteirol na minha cabeça). Na verdade eu queria muito pintar de azul, mas como como fiquei indecisa nas cores preferi começar no ruivinho sedução (rsrsrs),apesar de não ter ficado exatamente o tom que eu queria, eu gostei de mim ruiva,e sinceramente,pretendo manter a ruivisse até não sei quando. E logo vieram muitos comentários,mas o que me chamou atenção foi “ ficou lindo,porque você é branquinha”. Sim,é ridículo. Pára, que tá feio.
 O que eu queria deixar claro com esse texto hiper longo,é que eu não quero incentivar as pessoas a cortar, pintar ou raspar o cabelo. Não tenho nada contra quem usa chapinha,faz progressiva,etc. Eu só quero mostrar  que, se você tem vontade de mudar, não precisa ter medo. As pessoas falam e criticam por qualquer coisa. É normal mudar. Estar bem consigo mesma não depende de chapinha,secador,do tamanho ou da cor do seu cabelo.Somos livres para ser quem quisermos e como quisermos.



De Passagem




Eu não queria que esse fosse mais um texto sobre “ o carinha que mora logo ali” que partiu meu coração. Quer saber, chega uma hora que fica chato toda essa mesmice, essa coisa de ter que ficar me remetendo a ele o tempo todo nos meus textos. Chega de tanto mimimi, choradeira, músicas depressivas. Tô cansada de ficar mudando de direção pra não ter que encontrá-lo, de fingir que sou forte por dentro  e não me importo. No começo é difícil, como eu disse, só estava tentando me proteger. Mas quer saber? Tem um mundo lindo lá fora, um monte de coisas legais que eu posso fazer e pessoas maravilhosas me esperando pra sair sábado à noite. Cansei de ficar na defensiva, dessa passividade toda.

Eu levei mais um “tombo” da vida, ou melhor tropecei no seu caminho sem querer, só que ele não estava lá pra me estender a mão, como diz a música. Mas eu tô viva. O tempo passa, as pessoas passam, a vida passa, e eu quero passar também. Quero passar por lugares legais, passar na vidas pessoas e deixar um gosto bom, passar nas matérias e me formar (rsrsrs), passar numa livraria e compra um monte de livros, passar na esquina e cumprimentar alguém, passar por vitrines e olhar as novidades, passar meu batom vermelho e sair pra passear. Passar pela minha vida e realizar meus sonhos.





Carta pra Depois




Você me viu passar e sentiu algo diferente comigo, percebeu que eu não era a mesma garota de meses atrás. Te deixei confuso. Soube que você comentou com uma amiga nossa sobre mim, perguntou se eu estava bem, o que eu andava fazendo e se ela também tinha percebido algo estranho em mim. Ela disse pra não se preocupar, que certamente era impressão sua. Que não sabia se eu estava com algum problema, que nunca mais tínhamos conversado. Então você parou pra pensar nos últimos acontecimentos, queria encontrar alguma resposta. Afinal, eu já não mandava mensagens engraçadas pro seu celular, eu parecia fugir das suas palavras.
Realmente, nos afastamos um pouco. Eu estava tão ocupada com as provas da faculdade, e depois você começou  a namorar. Espera! Será? Como não tinha pensado nisso antes? Isso mesmo. Essa notícia me pegou de surpresa naquele tempo, agora sou eu quem te deixou surpreso. Não esperávamos por isso. Não estava nos meus planos me apaixonar por você, e eu não estava nos seus planos pra esse ano. Muita coisa mudou depois das férias de janeiro. Você sentiu um pouco de receio em vir falar comigo,preferiu me deixar em “paz”. Melhor assim.Obrigada.

O espaço que tenho deixado crescer entre nós é justamente por isso: eu estou tentando me proteger dos meus sentimentos em relação a você. Estou tentando lidar com o peso das nossas escolhas e sobreviver às lembranças. Eu derramei muitas lágrimas e e senti um monte de coisas sobre você. Estou fazendo com que o tempo me ajude a esquecer, que deixe passar, que o vento leve tudo aquilo que me fez chorar naquelas tardes de tédio no meu quarto. Eu prefiro que você fique onde está, que não me pergunte ou tente explicar mais nada. Afinal, já não somos os mesmos de antes. Já não somos nós. Somos apenas uma lembrança que ficou pra trás.

Viver,Sentir,Escrever




Eu tava pensando esses dias sobre essa  mania de escrever, não sei explicar como isso começou, mas sinto que me faz bem. Lembro de dois momentos da minha adolescência em que talvez eu encontre explicação. O primeiro quando eu tinha uns 12 anos e ganhei um pequeno diário, daqueles que vendem em loja de importados com canetinha colorida combinando com a cor da capa, cadeado e chave. Lembro que o meu era verde e tinha páginas coloridas e ilustradas, uma graça. No começo eu não sabia o que escrever nele, nem se chegaria a usar. Afinal, o que uma garota de 12 anos tem a escrever? Sinceramente,muita coisa.  Acho que todo mundo  sempre tem algo a ser escrito numa folha de papel pra deixar guardado, às vezes nossos pensamentos fazem mais sentido na ordem das letras. Mas voltando, eu pensei que aquele diário era uma coisa boba. Sempre gostei de bobagens. Decidi que escreveria ali meus segredos, confissões e “fatos” da minha vida. Comecei escrevendo sobre meus dias na escola, a rotina em casa e o que eu achava das pessoas. Aos poucos eu fui pegando jeito e gostando do hábito. Guardei muitos segredos meus ali. Escrevia toda noite antes de dormir, e o que era um simples diário se tornou meu confidente, durante alguns meses. Acabei completando todas as folhas, e parei de escrever. Guardei por um tempo e anos depois eu o peguei,reli e acabei jogando fora. Confesso senti um pouco de vergonha das coisas que escrevi ali. Bobagem.
O segundo momento foi quando eu tinha 15 anos, ou mais. Tentei voltar a escrever, só que dessa vez eram poemas. Toda vez que escrevia uma poesia levava pro colégio e mostrava as minhas duas amigas. Só mostrava pra elas,mais ninguém. Depois comprei um violão e tentei escrever músicas, não deu muito certo. Eu sempre detestava e acabava rasgando. Então comecei a gostar de um garoto (eita,o amor), então voltei a escrever de novo. Tirando as lágrimas e músicas depressivas, pelo menos algo bom ele me deixou: me fez escrever muitos textos.

Foram momentos importantes pra mim, porque foi onde encontrei na escrita uma maneira de aliviar certos sentimentos e tentar me compreender melhor. Hoje eu continuo escrevendo, com uma visão diferente do mundo, novas perspectivas e mais experiências vividas. Carrego comigo um monte de lembranças que um dia precisarão serem escritas e ,quem sabe, lidas por aí. A escrita me liberta, ,me torna capaz de inventar e descobrir coisas. Eu não sei o quanto essa mania vai durar, mas enquanto me fizer bem continuarei escrevendo. Aprendi que nossos sentimentos não são motivos de vergonha, eles nos ensinam a sonhar.

Playlist: sobre os dias de "férias"

Bom, nunca mais eu tinha postados músicas aqui.Andava meio preguiçosa (novidade, sqn), mas ultimamente eu ando tão entediada que  resolvi fazer uma playlist e postar por aqui. Como vocês perceberam o blog  tem passado por mudanças, estou com um monte de ideias pra fazer aqui aqui mas precioso me organizar. No começo eu criei o blog só para postar uns textinhos que eu escrevo de vez em quando, mas de vez em  quando me vem aquela vontade de se mudar, de falar sobre mais assuntos. Já que não tenho muita coisa pra fazer ultimamente eu tô querendo me dedicar mais aqui,  porque  preciso ocupar minha mente com algo criativo,diferente (Vou poupar detalhes). Sinceramente, eu ainda não sei bem o que pretendo com esse blog, mas vou me dedicar e procurar fazer coisas legais aqui, com o tempo eu vou arrumando esse cantinho.
Mas chega de mimimi que o assunto aqui e música, e da boa. Então, aperte o play!

 














Espero que gostem. Até mais :)

Lembrança de uma Fotografia



Eu peguei a única fotografia em que saímos juntos. Ele estava do meu lado, com a mão na minha cintura e eu com um sorriso tímido. Lembro bem daquele dia. Lembro que só fui naquele show porque sabia que ele estaria lá. Lembro que ele disse que eu estava linda e me abraçou. Lembro que recusei bebida porque não queria ficar com aquela cara estranha (de bêbada) perto dele. Lembro que eu nem conhecia a música que tocava naquele lugar, mas eu gostava da sua companhia. Lembro que as pessoas que estavam perto achavam que realmente estávamos “juntos” (namorando), e eu gostava dessa ideia. Lembro do seu perfume que ficou na minha roupa. Lembro que eu não sabia dançar,mas ele não se importava com isso, me achava legal mesmo assim. Lembro que cheguei muito tarde em casa e levei uma bronca daquelas. Lembro que fui dormir pensativa sobre ele,eu,nós. E depois de tantas lembranças eu recortei aquela foto, deixei apenas nós dois. Juntos.  Guardei comigo aquela imagem. Talvez não me sirva de nada essa recordação, mas ainda não me sinto pronta pra me livrar da sua lembrança.


Mania de Pensar

.  
Quando eu tinha 12, 13 anos lembro que costumava olhar as estrelas, depois do jantar e na falta de programas interessantes na TV, corria até o quintal de casa e lá ficava a fitar o céu. Eu ficava imaginando o que mais poderia de haver por ali e se um dia eu poderia chegar lá. Pensava na minha vida e se ela realmente mudaria, no que eu me tornaria dali há alguns anos. Talvez mudasse da casa, de escola, de ideias. Eu ficava tentando descobrir os sonhos e possibilidades que existiam além daquele céu estrelado. Depois de um certo tempo, minha mãe me chamava para entrar. Já era hora de ir pra cama. E ao me deitar e fechar os olhos, ia de encontro aos meus sonhos, aqueles que faziam sentido na minha mente confusa e curiosa, e me faziam viajar em letras de música e finais de filmes de comédia romântica.
Naquele tempo eu não tinha muitos amigos,mas isso nunca fez diferença pra mim. Eu não tinha medo da solidão. Com 13 anos eu só me importava com as provas escolares, as músicas que tocavam no rádio e os filmes da sessão da tarde. Eram outros tempos, e eu, uma outra pessoa. E às vezes isso me faz falta. Hoje eu sou bem diferente daquele tempo e de como eu me imaginava. Engraçado esse negócio que a gente tem de ficar idealizando o tipo de pessoas que devemos ser,afinal: O que somos¿ O que queremos¿
Somos apenas pessoas, com qualidades e defeitos. Erramos,acertamos,rimos,choramos...Enfim,se pararmos pra perceber tudo isso, dá pra notar que somos pessoas tão interessantes,temos a oportunidade de fazer tanta coisa legal no mundo, viver experiências incríveis e aprender com nossos erros. Existe muita coisa boa dentro de nós,vamos descobri-las e mostra-las ao mundo.  


Para Ouvir: